Cinnamon Rolls

quinta-feira, 19 de novembro de 2009



A minha primeira experiência com essa delicia foi nos EUA, em 2000. Bastou eu conhecê-la pra cair de amores, afinal eu amo canela! As minhas amigas norte americanas eram compradas em supermercados, no setor de congelados e vinham em latinhas assim. Como eram embaladas à vácuo, era só torcer a latinha e voilá ... as rosquinhas saiam inchadas, iam crescendo e aí era só colocar no forno e sair pro abraço. Até a icing (uma coberturinha açucarada deliciosa) já vinha num sachet, prontinha pra gente colocar por cima e comer (nhami nhami). Desde então só comi essas delícias quando voltei aos EUA e ano passado, em Aruba (meu olho brilhou quando vi um quiosque da Cinnabon no aeroporto e mesmo de barriga cheia eu "empurrei" uma rosquinha pra matar a saudade). Até que uns dias atrás me veio a luz de procurar na internet uma receita de cinnamon rolls. E não é que eu achei?!? Várias inclusive!!! Obviamente é muito mais fácil e confortável torcer a latinha e só colocar no forno. Mas como quem não tem cão caça com gato, tive que me virar e fazer minhas próprias rosquinhas.



Ao contrário das últimas receitas que coloquei aqui, essa não é fácil nem rápida! Mas não é nada impossível de se fazer e ficam tão, mas tão gostosas que a primeira vez que fiz passei mal de tanto que comi (Vergonha eterna!!! O pecado da Gula me consumiu por inteiro! Vou ajoelhar no milho!). Vamos lá:



MASSA:

400g de farinha de trigo (aproximadamente 2 e 2/3 xícaras)
1/4 de xícara de açúcar
01 pitada de sal
01 colher de sopa bem cheia de margarina (60g)
3/4 de xícara de leite
01 ovo
01 sachet de fermento biológico seco (10g)
40 ml de água morna


RECHEIO:

02 colheres de sopa bem cheias de margarina ou manteiga sem sal em temperatura ambiente
2/3 de xícara de açúcar mascavo
01 colher de café bem cheia de canela (quem gosta pode colocar mais)



ICING:

01 xícara de açúcar de confeiteiro
01 colher de sopa de manteiga sem sal derretida
01 colher de café rasa de essência de baunilha
Leite até dar ponto de mingau bem grosso (usei +/- 2 colheres de sopa)




Primeiramente coloque numa tigela a farinha, o açúcar, a margarina, o sal e o ovo batido no leite. Dissolva o fermento na água morna (não pode estar muito quente) e junte à mistura. Vá misturando tudo com uma colher de pau até ficar mais ou menos homogênea. Depois coloque literalmente a mão na massa para sovar. Nessa hora eu pensei que a massa não estava certa, porque ela fica bem mole, gruda no dedo e parece que não vai ficar boa nunca!!! Mas fica!!! Não se desespere e cometa o erro de colocar mais farinha! A receita que achei pedia pra gente sovar a massa em uma superfície lisa mas fez tanta meleca no meu granito que na próxima sovei dentro da tigela mesmo e deu certo! Tentei também fazer esse procedimento chato usando o gancho de massas pesadas da batedeira planetária e o resultado foi uma massa embolada, que quase queimou minha batedeira e que foi toda pro lixo!



Enfim ... trabalhe os músculos do braço e sove bem a massa (demora uns 10 minutos e cansa!!!). Depois vc vai ver que ela vai começar a desgrudar um pouco das mãos e vai estar bem lisinha, no ponto que dê pra vc trabalhar. Coloque-a então em outra tigela, cubra com plástico filme e deixe descansar por uma hora em ambiente abafado (eu enrolo uma toalha e coloco dentro do guarda roupa - do marido, é claro!). Vc verá então que a massa vai quase triplicar de tamanho e que é a hora de recheá-la. Polvilhe farinha de trigo em uma superfície lisa e abra a massa com um rolo, sem amassar demais. Deixe-a com mais ou menos 8mm de altura e tente formar um retângulo. Passe a margarinha ou manteiga sem sal usando o fundo de uma colher. Venha então com a mistura de açúcar mascavo e canela, polvilhando por toda a massa. Enrole-a apertando o finalzinho e corte pedaços de aproximadamente 4cm. Coloque esses rolinho em uma forma untada com margarina, cubra de novo com plástico filme e deixe crescer por mais 40 minutos no mesmo ambiente abafado (ou seja, o guarda roupa! hahahaha). Não coloque as rosquinhas muito próximas uma das outras, porque elas vão crescer bastante e acabam se juntando. Na primeira vez que fiz elas ficaram tão juntas que tive praticamente uma roscona em formato de tabuleiro, não deu nem pra separar, tive mesmo que partir. Essa distância é a ideal:


Depois desse tempo pincele uma gema batida por cima das rosquinhas e as coloque em forno médio (180º), pré aquecido, por aproximadamente 25 minutos. Retire-as do forno, espere esfriar e coloque a icing por cima (só misturar os ingredientes). Não coloque a icing nas rosquinhas ainda quentes, pois o açúcar vai derreter e você não terá o efeito "neve" que além de gostoso é muito bonitinho. Se quiser pode polvilhar um pouco de canela por cima também,

Essa receita agora é "a menina dos meus olhos". Adorei e quero fazer sempre que tenho tempo. Mesmo sendo demorada compensa demais, tamanha a gostosura!


Bolo de Iogurte e Limão

sábado, 7 de novembro de 2009



Este é o bolo do marido, já que finalmente ele se interessou em fazer algo na cozinha. Um dia eu fiz esse bolo ele gostou tanto que pediu pra fazer na próxima. Como aqui em casa somos só nós, adaptei a receita para uma forma de bolo inglês pequena (24 x 10cm). Se for fazer em tamanho família é só aumentar seguindo as proporções. Um bolo bem fácil, rápido e muito gostoso! O iogurte dá um toque especial fazendo ficar ainda mais macio.

Vamos lá:
01 ovo
01 colher de sopa bem cheia de margarina
01 xícara de açúcar
3/4 de xícara de iogurte natural sem sabor (não uso o desnatado)
01 e 1/4 xícara de farinha de trigo
01 colher de café bem cheia de fermento em pó
Raspas de 01 limão
Sumo de 01 limão


Misture primeiro a margarina e o açúcar, batendo bem até ficar uma mistura clara e homogênea. Em seguida coloque o ovo, o iogurte e vá acrescentando a farinha aos poucos, passando por uma peneira. Por último coloque o sumo e as raspas de limão e o fermento (sem bater muito). Coloque na forma untada e polvilhada com farinha de trigo e leve ao forno pré-aquecido (180º) por aproximadamente 30 ou 35 minutos, ou até estar corado.
Se quiser, pode fazer uma calda açucarada (assassina de dietas) com uma xícara de açúcar de confeiteiro e aproximadamente 70 ml de sumo de limão. Misture até dar ponto de mingau grosso e coloque em cima do bolo morno (se ele estiver muito quente o açúcar vai derreter imediatamente). Se não quiser fazer a calda é polvilhar açúcar de confeiteiro por cima e já fica bem bonitinho!!!


Mais fácil e gostoso impossível!!!

De volta com duas receitinhas cara de verão - Mousse e Brigadeiro de Limão

segunda-feira, 2 de novembro de 2009



Limão é uma fruta que não falta em minha geladeira! Serve de tempero, fica excelente para doces e o melhor suco de todos pra mim é a limonada suíça! Se for batida com capim de cidreira então ... huuuummmmm ... a mais refrescante!!! Adoro!!!

Essas duas receitinhas são "mamão com açúcar". Fáceis, rápidas, deliciosas!

A mousse de limão é uma receita "catada" da minha mãe que por sua vez "catou" de outra pessoa. Marido disse que ia fazer (é fácil mesmo!) mas tive que ajudar porque o desajeitado tem problemas para abrir lata (socorro!!!). Mas vamos ao que interessa:







Mousse de Limão


02 latas de leite condensado
02 latas de creme de leite
01 copo americano de sumo de limão (coloquei 200 ml)
01 pacote de gelatina de limão
100 ml de água quente para hidratar a gelatina



Hidrate a gelatina na água. Em seguida coloque tudo no liquidificador, bata bastante (eu deixo batendo uns 3 minutos) para ficar bem aerada. Coloque eu taças individuais ou em uma taça grande e leve à geladeira por aproximadamente 4 ou 5 horas. Depois é só saborear.


PS: Você provavelmente vai ter que dividir a receita em duas partes para caber no liquidificador.






Brigadeiro de Limão Siciliano



01 lata de leite condensado

01 colher de sopa de margarina

1/4 de xícara de sumo de limão siciliano

Raspas do mesmo limão

Açúcar de confeiteiro para enrolar

Mais simples impossível: colocar tudo em uma panela e ir mexendo bem até dar ponto de brigadeiro para enrolar. Eu sempre tive dificuldade para conseguir dar ponto de enrolar no bendito brigadeiro até que "meus problemas se acabaram-se" quando em um curso a professora mostrou que ele começa a ficar no ponto quando para de borbulhar e fica meio "morto" na panela. Então agora eu deixo ir cozinhando bastante até esse ponto. Quando vejo que a massa está sem borbulhhar continuo cozinhando por mais um minutinho, retiro da panela e coloco em um prato ou tabuleiro untado para esfriar. Depois é só fazer as bolinhas e passar no açúcar de confeiteiro. A quantidade de sumo de limão é bem pessoal - se quiser mais azedinho é só colocar mais.

Nos próximos posts colocarei receitas de um bolo delicioso de iogurte com limão (de novo!) e de deliciosas cinnamon rolls.






Snickerdoodles

terça-feira, 15 de setembro de 2009


Receita tradicional nos EUA, esse é mais um biscoitinho do livro da Tia Martha. Na verdade é um biscoitinho amanteigado com canela. Achei a receita bem fácil e o biscoito é levinho, derrete na boca. Da próxima vez vou colocar raspas de laranja na massa pra ficar um sabor mais marcante!
Não precisa de muitos ingredientes e nem suja muita coisa:

02 e 3/4 xícaras de farinha de trigo (pode precisar de um pouco mais)
02 colheres de chá de fermento em pó
1/2 colher de chá de sal (coloquei menos)
01 xícara de manteiga sem sal em temperatura ambiente
01 e 1/2 xícaras de açúcar + 02 colheres de sopa
02 ovos grandes
02 colheres de chá de canela em pó

Coloque em uma tigela os ingredientes secos (farinha, fermento e sal). Bata na batedeira a manteiga com o açúcar (01 e 1/2 xícaras) até ficar uma mistura bem clarinha. Acrescente então os ovos e bata mais um pouco. Junte então a mistura seca e bata só mesmo para misturar, em velocidade baixa (eu terminei colocando as mãos mesmo!). Pronto! Aí é só fazer bolinhas e ir passando pela misturinha de canela com as 02 colheres de açúcar. Coloque para assar em tabuleiro untado e em forno pré-aquecido. Dependendo do tamanho dos seus biscoitos eles ficarão prontos entre 12 e 15 minutos. Delícia!!!

No livro fala que uma receita rende 01 dúzia e meia de biscoitos (mas em tamanho americano, ou seja, gigante!). Eu fiz meia receita e consegui 27 biscoitinhos em tamanho razoável ao padrão brasileiro (mais ou menos do tamanho de Biscoito Maria).

Cheesecake Baiano

quinta-feira, 27 de agosto de 2009




Algo me incomoda com relação ao nome dessa sobremesa. Primeiro não é cheesecake porque não leva cheese (só o formato é que parece). Devia chamar coconut cake, já que é uma cocadona! Segundo, não é justo ser só baiano ... afinal de contas até onde sei goiabada é um doce tipicamente mineiro (ah! a minha infância e as goiabadas de lata daquela marca do elefante!!!).
Mas enfim ... coloquemos o nome justo - Coconutcake Bahia-Minas.

Essa receita eu vi no site da Ana Maria Braga uns bons meses atrás e ficou fixa em minha cachola. Mas esperava uma ocasião em que tivesse boquinhas pra me ajudar a comer, já que rende muito e consequentemente eu comeria mais do que devo (porque a carne é fraca demais!).

Eis que minha amiga Carol e seu namorido vinham jantar aqui em casa. Gente, os dois são chefs, especialistas da gastronomia e eu, leiga toda que até pouco tempo morria de medo de panela de pressão me meti a besta e fui cozinhar pra eles. Fiz um escondidinho de carne de sol com mandioca (não tirei fotos! aff) e essa daí foi a sobremesa. Bom, eu acho que agradou! Pelo menos eu e marido gostamos bastante!!!



Fucei aqui e ali e descobri umas substituições, porque a receita original levava coco seco e eu morro de preguiça de abrir e descascar aqueles cocos. Então ficou assim:


06 ovos
02 latas de leite condensado
220 gramas de coco ralado seco sem doce (usei coco em flocos)
01 lata de leite (aproximadamente 300ml)
01 lata de leite de coco (aproximadamente 300ml)
500 gramas de goiabada sem pedaços (igual as de lata)
aproximadamente 1/2 xícara de água

Hidrate o coco no leite de coco por uns 20 minutos. Depois jogue tudo no liquidificador (menos a goiabada e a água) e bata bem. Provavelmente você vai precisar bater de duas vezes porque é muito líquido pra pouco liquidificador. Coloque em uma forma de 30cm de diâmetro untada e enfarinhada e leve para assar em forno médio (180º) por aproximadamente 01 hora. Deixe esfriar e coloque na geladeira por no mínimo 04 horas (fiz de noite e desenformei no dia seguinte). Na hora de tirar da forma, dê uma esquentadinha na chama do fogão que solta bem mais fácil. Para fazer a calda de goiabada é só picar o doce em cubos pequenos e colocar com a água no fogo. Vá mexendo até que derreta e fique com consistência de calda grossa. Aí é só colocar por cima e se deliciar!

Huuuummmmm!!!!




Biscoito Amanteigado de Parmesão e Ervas

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Esse biscoito tem um problema muito sério: rende pouco! E isso é uma faca de dois "legumes" ... rendendo pouco eu como pouco (o que é ótimo!) mas também fico sempre com aquela vontade de comer mais. E vai que um dia resolvo ter filhos e eles nascem com cara de biscoito de parmesão. Ai ai ai.

Encontrei essa receita numa de minhas pesquisas cibernéticas e infelizmente não lembro onde foi para poder dar os devidos créditos. Ficou guardada um tempo até que resolvi agradar o marido - que ama um biscoito - mas sem fazer algo doce. Resolvi testar e amei demais! Perfeito pra servir de tira gosto, acompanhado de um bom drink ou pra quem gosta uma cerveja bem gelada. Marido empolgou e ainda passou no biscoitinho a já conhecida geléia.

Pra fazer essa delícia você vai precisar de:

110 g de manteiga em temperatura ambiente
40 g de parmesão ralado
180 g de farinha de trigo
Pimenta do reino moída na hora à gosto
01 colher de chá de ervas finas secas (ou alguma erva que preferir)
01 colher de chá de alho frito triturado
01 pitada de sal

Na batedeira coloque a manteiga, o parmesão, as ervas e a pimenta e bata em velocidade média até obter um creme. Acrescente a farinha e vá batendo em velocidade baixa ou com as mãos até formar uma massa em ponto de biscoito mole. Se ficar muito mole coloque um pouquinho mais de farinha e se ficar muito ressecada coloque água gelada (01 colher de chá). Coloque a massa em uma superfície enfarinhada e faça um cordão, enrolando com as mãos, de forma que ele se pareça mais ou menos com um rolo de papel alumínio. Enrole-o em plástico filme e leve ao congelador por aproximadamente 40 minutos. Depois desse tempo, retire o plástico e vá cortando fatias de no máximo 01 cm de espessura - que serão seus biscoitinhos. Arrume-os em uma forma untada ou forrada com papel manteiga e leve para assar em forno médio por aproximadamente 20 minutos ou até corar. Não se espante se um cheiro absurdamente maravilhoso tomar conta da sua cozinha. O aroma das ervas, alho e parmesão abre o apetite na hora! Huuummmm.

Depois é só servir morninho ou já frio, do jeito que preferir!
Delícia demais!!!

Essa receita rendeu uns 30 biscoitos só! Aff
Da próxima vez faço o dobro! Rs

Considerações:
Manteiga é manteiga e margarina é margarina! Não confunda please!
Nessa receita pode usar manteiga com sal. Se tiver em casa a manteiga sem sal e quiser usar é so colocar um pouquinho mais de sal na massa.
Parmesão sempre o fresco ralado bem miúdo! Aquele de pacotinho é igual sabão em pó e não vai dar o resultado esperado no biscoito.

A Torta de Banana da Minha Infância

terça-feira, 21 de julho de 2009





A proximidade dos 30 (fiz 28 dia 10) tem me deixado meio saudosista. Parece que foi ontem mesmo que estava feliz da vida arrumando minhas malas rumo a tão sonhada viagem de 15 anos à Disney, ou então sofrendo horrores tentando tirar carteira de motorista aos 18. Como o tempo passa rápido!!!


Uns dos doces que conheço a mais tempo é essa torta de banana. Além do típico melado com queijo, que adorávamos comer na casa da minha avó aos domingos (e que deixava minha mãe brava, porque em casa não comíamos, só tinha graça se fosse na casa da ) essa torta é amiga da família a muitos anos! Não sei de quem é a receita, só sei que lembro de já ter comido várias vezes na casa da Nice e que minha mãe também gosta bastante de fazer. Então virou pra mim uma receita de família. Fácil, facílima, super simple (como diz G. Garvin)

Para fazer essa torta você vai precisar de:


12 ou 14 bananas caturras maduras no ponto
03 ovos
10 colheres de sopa de farinha de trigo
10 colheres de sopa de açúcar cristal
01 colher de sopa de fermento em pó
Manteiga o quanto baste
Canela em pó a gosto


Faça uma mistura seca com a farinha, o açúcar e o fermento. Corte as bananas na horizontal, em fatias bem finas (o mais fina que você conseguir). Para facilitar eu normalmente corto a banana ao meio e depois vou "laminando". Unte um tabuleiro ou refratário médio e coloque a mistura de farinha no fundo até cobrir mas sem ficar uma camada grossa. Em seguida acomode as lâminas de banana, uma ao lado da outra, de modo que tampe toda a "farofa". Depois vá colocando pedacinhos de manteiga com o auxílio de uma colher. Eu coloco a manteiga em intervalos de aproximadamente 4 cm entre os pedaços. Repita a operação com a mistura de farinha, em seguida a banana, depois a manteiga novamente. Por último coloque novamente a farinha e as bananas mas sem a manteiga. Bata as claras dos ovos separadas com um fouet até ficarem espumosas e acrescente as gemas. Espalhe essa mistura de ovos sobre as bananas (ao invés da manteiga) e por último polvilhe canela à gosto.



Coloque para assar em forno médio pré-aquecido por aproximadamente 45 minutos ou até ficar dourada por cima e prepare-se para o cheiro maravilhoso que vai ficar na cozinha. Mais fácil impossível. Essa torta fica perfeita quentinha, saindo do forno e acompanhada de um belo sorvete de creme. Ou então depois de gelada, pura mesmo! É uma delícia de qualquer forma!!!


Como eu sou uma mãe orgulhosa dos meus "filhos" vou deixar aqui uma foto do delicioso bolo que fiz pro meu aniversário (chocolate com morango) e das flores que ganhei do marido (que já pediu um bolo igual pro aniversário dele).





Risoto de Alho Poró com Filé ao Molho de Vinagre Balsâmico e Mel

segunda-feira, 29 de junho de 2009


Tinha em casa cortes de um filé ultra macio, alho poró já cortado em rodelinhas, vinagre balsâmico pedindo pra ser usado e um arroz arbóreo saltitando dentro do armário. Essa coisa de arroz, feijão, bife e batata frita não faz muito a minha cabeça (até porque tenho pânico de fritura) então resolvi fazer um risoto (é arroz não é?!?) e grelhar o filé colocando algum molho pra complementar. É bem verdade que ficou um pseudo-risoto, pois como não uso caldo industrializado e não estava com a menor paciência de fazer um fundo de legumes, acabei cozinhando o arroz em água mesmo, mas com bastante alho pra ficar gostoso!

Para fazer o risoto de alho poró eu primeiro refoguei alho, sal e cebola picada miudinha em azeite extra virgem. Depois joguei o arroz e coloquei a um pouco de vinho branco seco. Quando já estava quase secando coloquei água aos poucos até ver que ele estava já bem macio e cremoso (essa é a hora que deveria ter usado o caldo de legumes). Depois é só colocar manteiga (pra duas pessoas eu coloquei uma colher de sopa bem cheia), parmesão ralado a gosto (fresco por favor) e alho poró em rodelinhas bem finas. Na hora de servir coloquei cebolinha verde picadinha por cima.

O filé temperei normalmente (com alho e sal) e grelhei na frigideira anti-aderente. A graça está no molhinho super fácil e simples - para 01 colher de sopa de vinagre balsâmico, coloquei 01 colher de chá de mel e 01 colher de chá de azeite extra virgem. Misturei bem pra fazer o mais homogêneo possível e coloquei um pouquinho de alho crocante. Depois é só colocar por cima do filé e decorar com pimentinhas biquinho.

Almocinho delicioso, fácil e rápido de fazer. Pra acompanhar degustamos a última garrafinha do meu vinho favorito, o californiano rosé White Zinfandel, que infelizmente ainda não descobri onde encontro no Brasil (aff!)

Coconut Swirl Brownies

quarta-feira, 17 de junho de 2009


Felizmente o livro da tia Martha não é só de biscoitos - traz também deliciosas delícias como este brownie super gostoso. O nome é meio esquisito (brownie redemoinho de coco) mas eu vou apelidá-lo de Brownie Prestígio. O nome redemoinho de coco provavelmente é porque quando colocamos as massas no tabuleiro (a de coco e a de chocolate) temos que pegar uma faca ou garfo e ir tentando fazer redemoinhos para que fique um efeito meio marmorizado. Da próxima vez eu vou usar a base da massa de chocolate e fazer com cerejas e pedaços de castanha pra ver no que dá ...

Para a massa de coco:
01 colher de sopa de açúcar
1/3 de xícara de leite condensado
01 clara de ovo
1/2 colher de chá de essência de baunilha
2/3 de xícara de coco ralado (não usem o adoçado)

Misturar tudo muito bem até ficar homogêneo e reservar


Para a massa de chocolate:
1/2 xícara de manteiga em temperatura ambiente (usei 1/3)
55 g de chocolate amargo
115 g de chocolate meio amargo (usei 170 g do meio amargo e deu um efeito muito bom)
2/3 de xícara de farinha de trigo
03 ovos grandes
01 colher de sobremesa de essência de baunilha
3/4 de xícara de açúcar
01 pitada de sal
1/2 colher de chá de fermento em pó

Primeiro derreta (no microondas ou em banho maria) o chocolate com a manteiga. Quando estiver bem derretido e homogêneo, coloque o açúcar, os ovos e a baunilha. Por último acrescente a farinha, o sal e o fermento em pó.

Em um tabuleiro untado e polvilhado com farinha, coloque 1/3 da massa de chocolate. Em seguida coloque colheradas da massa de coco e com uma faca ou garfo tente fazer um efeito marmorizado, sempre tomando cuidado pra não encostar no fundo do tabuleiro. Coloque o restante da massa de chocolate e, se quiser, deixe um pouco da parte de coco para o topo.
Asse em forno médio pré aquecido tendo o cuidado de não deixar ressecar demais. No meu forno com 35 minutos estava no ponto exato.

Esse brownie eu fiz para o lanche e para acompanhar uma deliciosa xícara de leite queimadinho (huuuummmm). Mas ele fica ótimo se servido quentinho (ou aquecido no microondas) e acompanhado de uma bola de sorvete de coco.

Comidinhas de Inverno I - Vaca Atolada

terça-feira, 9 de junho de 2009


Friiiiiooooooo. Muito friiiiiooooooo!!!


Eu detesto inverno e detesto frio. Mas como tudo nessa vida tem dois lados eu preciso concordar que essa é uma época de roupas elegantes e comidas deliciosas (e engordativas, mas quem liga?!?).
Eu estou sendo obrigada a me virar pra fazer coisas que nunca antes tinha feito - tipo vaca atolada. De vez em quando ligo pra minha mãe e peço um help. Mas esse caldo delicioso eu tenho o orgulho de falar que fiz sozinha! Aêêêêê!!!


Todos os ingredientes eu comprei no Mercado Central, que é um dos lugares que mais adoro em BH. Como ia receber visitas, fiz uma porção bem grande que serviu bem 08 pessoas e ainda sobrou. Acho que daria bem umas 10 porções e precisei de:


01 kg de carne de sol limpa e de boa qualidade
1,2 kg de mandioca
02 cebolas médias cortadas em pedaços pequenos
1/2 pimentão cortado em pedaços pequenos
tempero de sal e alho (faço o meu e misturo outras ervas)
Cebolinha verde a gosto
1/4 de peça de Queijo Minas ralado (usei o Canastra de Araxá)


Primeiro eu limpei bem a carne pra tirar toda a gordura que costuma vir e cortei em pedaços bem pequenos (comprei 1,4 kg mas no final só ficou mesmo 01 kg). Não deixei a carne de molho, só dei uma lavada porque queria que ela ficasse realmente mais temperada, já que a mandioca é meio sem gosto. Refoguei a carne com o tempero, a cebola e o pimentão na panela de pressão (finalmente tomei vergonha na cara e comprei uma, apesar de ainda ter um certo de receio de usar). Deixei a carne cozinhar até ficar bem macia mesmo, naquele ponto que só de encostar o garfo ela desfia. Fui controlando o nível de água na panela para que no final restasse um caldinho grosso junto com a carne. Acho melhor usar esse caldo do que caldos prontos de tablete ou pozinho. Para que o caldo ficasse na consistência desejada eu tive que abrir a panela umas 4 vezes e isso foi um pouco chato, mas no final achei que compensou. Enquanto a carne cozinhava eu coloquei a mandioca no fogo até ficar bem macia e em seguida fui batendo (com a própria água em que ela cozinhou) no liquidificador para ir fazendo o caldo (não muito ralo, ficou parecendo um mingau). Alguns pedaços que estavam bem macios eu fui espremendo com um garfo pra não ficar tudo muito líquido e sentir uns pedacinhos da mandioca. Depois é só virar esse mingau na panela com a carne e ir misturando. Como a carne já estava bem macia, só de ir encostando uma colher de pau ela foi desmanchando e misturando com o caldo.
Na hora de servir, coloquei queijo ralado no fundo das tigelinhas e cebolinha picadinha por cima.


Não sei se esse é exatamente o jeito certo e mais tradicional de fazer vaca atolada. Eu fui improvisando mas achei que o resultado final ficou muuuito satisfatório. Delícia mesmo!!!

Torta de Frango de Liquidificador

sexta-feira, 29 de maio de 2009



Mais uma receitinha clonada do caderno de receitas da minha mãe (que ela clonou de alguém também ... se não estou caduca, da minha avó). Essa torta é a mais fácil de todas e fica muito, muito, muito gostosa!!! Eu como sou chata demais, gosto só da de frango. Mas o recheio pode variar bastante ... legumes, atum, sardinha, bacalhau, etc.


A massa básica é feita no liquidificador e não tem segredo nenhum. Só colocar tudo pra bater bem, tendo o cuidado de deixar o fermento em pó por último, quando já estiver tudo bem homogêneo.


03 ovos
01 pitadinha de sal
1/2 xícara de óleo
01 e 1/2 xícara de leite
10 colheres de sopa bem cheias de farinha de trigo
01 colher de sopa de fermente em pó
02 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
Queijo parmesão ou Minas a gosto para gratinar


A quantidade de farinha de trigo pode variar conforme o tamanho dos ovos. O importante é que ela fique com a consistência de uma massa de bolo mais ralinha.


Para fazer o recheio use a criatividade. Eu gosto muito de peito de frango desfiado (deixo o caldinho pra dar "aquele" sabor), milho verde, cebolinha, pimentão e palmito. Fica uma gostosura. O importante é não ter miséria no recheio, deixá-lo bem farto e depois colocar um bom queijo por cima pra gratinar. Eu gosto muito de usar o queijo canastra de Araxá (viva o Mercado Central!!!). Eu sou super rata e AMO queijo e esse deu um tchan todo especial na torta.


Coloque para assar em forma untada, em forno pré aquecido até que esteja coradinha por cima (normalmente uns 35 a 40 minutos).



Perfeita para um lanche e para receber os amigos sem ter aquele trabalhão!

Icebox Spirals

terça-feira, 26 de maio de 2009



Finalmente, depois de quase 30 dias de espera, meu livro de biscoitos da Tia Martha chegou!!! Quando abri o pacote fiquei assim meio decepcionada porque achei que era um livrão, de capa dura e tudo. E como comprei junto esse aqui (que é lindoooo) nem dei muita importância e deixei pra lá. Surpresa foi quando tive um tempo e resolvi então espiar meu livrinho. Jesuis!!! São 175 receitas, todas maravilhosamente ilustradas com fotos que me deixaram com água na boca (muuuita água!). É verdade que algumas são bastante difíceis de serem feitas porque não temos todos os ingredientes por aqui (estou sonhando com um vidro de maple syrup e um pacote de cranberries - que eu adoro!). O jeito então é fazer as que são possíveis e usar as outras de base com os nossos ingredientes.


Comecei fazendo um biscoito bem simples mas muito gostoso - os icebox spirals. Por ser uma massa bem molinha, eles realmente precisam ir ao congelador senão fica quase impossível de trabalhar. Eu fiz meia receita e achei que rendeu bastante, mas da próxima vou cortar as fatias um pouco mais finas pra assar mais rápido. Hoje deixei-as mais grossas e o resultado foi que começou a "sapecar" pra não correr o risco de ficar cru por dentro.

Aí vai minha versão da receita (meia) da Dona Martha Stewart:

120g de manteiga sem sal

01 xícara de açúcar

01 ovo inteiro + 01 clara separada

01 pitada de sal

1/3 de xícara de leite integral

01 colher de café de essência de baunilha

03 xícaras de farinha de trigo

01 colher de sopa bem cheia de cacau em pó


Coloque na batedeira o açúcar e a manteiga e bata até ficar um creme grosso e homogêneo. Depois acrescente o ovo, a essência de baunilha, o sal e o leite e continue batendo. Vá então colocando a farinha de trigo aos poucos (recomendo que se use o batedor para massas pesadas ou então use aos mãos após a segunda xícara). A massa não vai ficar no ponto de abrir. Ela é mais mole mesmo e por isso deve ser levada ao congelador. Separe então metade e coloque o cacau em pó. Deixe bem homogêneo, envolva em um saco plástico ou papel filme e leve ao congelador por aproximadamente 20 minutos.



Polvilhe uma superfície lisa com farinha de trigo e abra as massas, uma separada da outra. Corte um retangulo de cada (com o mesmo tamanho aproximado) e coloque a massa de baunilha por cima da massa de cacau utilizando a clara de ovo como "cola" (espalhe com um pincel culinário). Enrole como um rocambole e pressione a extremidade para que fique firme. Deixe no congelador por mais uns 20 minutos e depois disso, corte o rocambole em fatias bem fininhas. Coloque-as para assar em forno médio, pré aquecido, por aproximadamente 15 a 20 minutos.
Meia receita deu pra fazer 2 rocamboles e rendeu uns 35 biscoitos.

Waffles

terça-feira, 19 de maio de 2009

Nham Nham Nham
Adoro!!!




A uns dez anos atrás minha mãe comprou um grill que tinha chapa removível - de um lado era lisa (para sanduiches, carnes, etc) e do outro cheia de buraquinhos para fazer waffle. Na época não era comum encontrar tantas receitas pela internet e só fazíamos usando o livrinho que veio no próprio aparelho. Não fez muito sucesso ... a massa era chata, vivia grudando e com o tempo a película anti aderente soltou e aí praticamente aposentamos o lado waffle do grill.

Em minha tentativa de habitar Los Angeles, em 2000, descobri a praticidade do waffle congelado - vinha pronto, era só colocar na torradeira, uma maravilha! Esse foi um dos vilões da minha briga com a balança ... comia com requeijão, cream cheese, chantilly, maple syrup, enfim, só não comia com jiló.

Foi então que começou a instabilidade do meu relacionamento com o waffle. Voltei ao Brasil, esqueci dele e nos "desapaixonamos". Em 2006 voltei aos EUA e nos apaixonamos novamente. De volta ao Brasil nos separamos mas agora estamos mais juntos do que nunca!!!

Sou super viciada em seriados americanos e um que acompanho é Gossip Girl. O personagem Rufus Humphrey é um paizão e vive fazendo waffles para os filhos no café da manhã. Assistindo isso a chama da paixão reacendeu e sismei que precisava demais de uma máquina de waffle. Pesquisando encontrei várias opções de preços e como sei que nosso relacionamento é instável preferi não investir muito e comprei essa aqui . Excelente opção! Tem nos atendido com muita eficiência sem ter feito um rombo na fatura do cartão!!! Como marido nunca tinha comido waffle, assim que a empresa entregou (um domingo as 16:30 hs - super estranho!) fomos para a cozinha testar a novidade. Eu já tinha feito uma pesquisa de receitas e a que mais me agradou foi baseada no site do Mais Você.


175 g de farinha de trigo

02 colheres de chá de fermento em pó

02 ovos separados

220 ml de leite

85 g de manteiga derretida

02 colheres de sopa de queijo parmesão ralado ou a mesma quantidade de açúcar


Bata as claras em neve e reserve. Em seguida bater as gemas, o leite e a manteiga até ficar um creme liso e homogêneo. Ir acrescentando aos poucos a farinha, o fermento e o queijo (ou açúcar). Por último incorporar as claras.

Para colocar na máquina tem que ir testando a quantidade até acertar para não ficar derramando e fazer aquela lambança. A minha tem um indicador de temperatura com luz - ela se apaga indicando que o waffle está pronto - mas para ficar coradinho como o da foto eu sempre deixo quase dois minutos a mais. Essa receita rende entre 09 e 10 waffles.




Eu sempre faço com queijo porque gosto mais do salgado e adoro comer com cream cheese. Mas também comemos com manteiga de amendoim, geléia, etc. Além dessas tem também a versão super engordativa como a da foto - chantilly, calda de chocolate e uma cerejinha pra arrematar.

O melhor é que fiz um teste e descobri que essa receita fica muito boa também para congelar. Então sempre que faço congelo alguns embrulhados em papel toalha e acondicionados em saquinhos de congelamento com o mínimo de ar possível. Depois pode deixar descongelar naturalmente (uns 15 minutos), colocar por 15 segundos no microondas ou então usar a função descongelar da torradeira. Eu uso a torradeira - primeiro para descongelar e depois para dar uma tostadinha. Não fica 100% como o feito na hora mas se considerarmos a praticidade acho que atende perfeitamente!

Delírio Engordativo II - Trifle de Cerejas com Ganache de Chocolate

terça-feira, 12 de maio de 2009



Depois de uma semana bastante apertada eu precisava de uma sobremesa para o Dia das Mães que agradasse oito boquinhas nervosas e de gostos variados.


Já faziam três semanas que minha coleção "Larousse Cozinhas do Mundo" estava enfeitando minha mesa e eu ainda não tinha tido tempo de colocar nenhuma receita em prática. Precisava de uma receita fácil, gostosa e com os ingredientes que tivesse em casa. Foi então que descobri a Trifle.


Trifle é de origem inglesa, quase um pavê, entretanto para ser chamada Trifle a sobremesa precisa ter o sponge cake, o creme inglês e alguma bebida alcoólica. A receita original do livro era com abacaxi em calda e cerejas (deve ser excelente!) mas como eu precisava agradar as oito boquinhas tive que trocar o meu amigo abacaxi por chocolate. Na verdade ela aceita variações e qualquer outra fruta pode ser usada - como pêssegos, morangos, figos, damasco, etc.



O Sponge Cake


A única coisa que segui 100% a receita. É bem parecido com um pão de ló e serve de base para várias outras sobremesas inglesas.

04 ovos
100 g de açúcar
70 g de farinha de trigo tradicional
01 colher de café de fermento em pó
Raspas de meia laranja ou limão (opcional)

Bata as clara em neve e reserve. Bata em outra tigela o açúcar e as gemas até ficar um creme clarinho e bem cremoso. Acrescente então a farinha com o fermento e as raspas opcionais incorporando por último as claras em neve delicadamente. Coloque em forno médio, pré aquecido por aproximadamente 35 minutos. Essa receita ficou boa em uma forma redonda de 22 cm de diâmetro e com fundo removível.



O Creme Inglês


Esse me deu um pouquinho de trabalho. A receita original não engrossava e ficou parecendo um leite amarelado com um sabor que variava entre gosto de isopor e de ovo (aff!). Mas foi então que lembrei que yes! Nós temos leite condensado! Segue então a receita modificada e abrasileirada:

300 ml de leite
04 gemas (peneiradas please!)
01 lata de leite condensado
01 colher de sopa de farinha de trigo
1/2 colher de café de essência de baunilha
50 ml de Licor Curaçau Branco (ou Cointreau)

Coloque em uma panela a farinha e o leite até dissolver bem. Acrescente o restante dos ingredientes, leve ao fogo e vá mexendo até engrossar e ficar com uma consistência parecida com um brigadeiro bem molinho, no ponto que chegue a escorrer da colher. Coloque a bebida por último, depois de tirar do fogo.



A Ganache de Chocolate

O mais fácil da história. Só colocar no microondas 200 g de chocolate meio amargo com 100 ml de creme de leite de caixinha e 4 colheres de sopa de licor de chocolate (ou cacau). Deixe em potência média por 2 minutos (parando para mexer na metade do tempo). Pronto!!!


A Montagem da Trifle

Parta o sponge cake ao meio na horizontal. Em um pirex (ou taça grande para sobremesas) coloque uma camada do sponge cake no fundo. Espalhe metade do creme inglês e coloque cerejas (ou outra fruta de sua preferência) por cima. Coloque então a ganache de chocolate, a outra metade do sponge cake, mais cerejas e por último o restante do creme inglês.

Para decorar bata creme de leite ao ponto de chantilly e coloque por cima decorando com calda de chocolate e mais frutas.

Pulo do gato: Usei creme de leite de caixinha longa vida (marca Hulalá) e calda de chocolate pronta, da Moça.

Se o creme inglês ficar muito espesso, é recomendável que se use uma calda para regar o sponge cake e deixá-lo bem molhadinho. Pode-se usar para tal a própria calda da fruta misturada com algum tipo de licor que combine.


Bolo de Chocolate com Calda de Laranja

segunda-feira, 27 de abril de 2009



Como boa chocólatra adoro combinações de algumas frutas com chocolate (principalmente o meio amargo) e laranja é sem dúvida uma de minhas favoritas - seguida pelo maracujá e morango. Esse bolo tem um sabor forte e bem marcante e o azedinho da laranja é o grande diferencial. Delicioso!!!


Ingredientes:

07 ovos
270 g de açúcar
45 g de cacau em pó (ou 70 g de chocolate em pó)
140 g de farinha de trigo peneirada
70 g de manteiga derretida
150 ml de água
250 ml de suco de laranja pêra
100 g de açúcar (para a calda)
1/3 de xícara de raspas ou tiras finas de casca de laranja





Como faz:

Bata os ovos e o açúcar por 7 ou 8 minutos para ficar uma massa consistente e com bastante bolhas de ar. Desligue a batedeira e acrescente o cacau em pó, a farinha e a manteiga aos poucos, mexendo tudo delicadamente para que os ingrediente incorporem e as bolhas de ar permaneçam. Coloque a massa em forma untada e polvilhada com farinha de trigo e leve ao forno pré aquecido médio (180º). Esse bolo pode demorar entre 50 minutos e 1 hora para ficar pronto.

Enquanto isso prepare a calda colocando a água, o suco e as raspas de laranja e o açúcar em uma panela mexendo até dissolver. Depois leve ao fogo e deixe cozinhando em temperatura mais baixa até que ela reduza um pouco e fique mais espessa.

Faça furos no bolo com um garfo e despeje a calda por cima. Se quiser, decore com tiras de laranja cristalizadas ou não.

Pizza de Presunto de Parma e Pasta de Damasco

quinta-feira, 23 de abril de 2009



Desde que me entendo por gente eu AMO pizza! Sou daquelas que se deixar come todos os dias e a qualquer hora. Coincidência (ou destino) nasci exatamente no Dia da Pizza.

De um tempo pra cá, não contente em comer nas pizzarias eu resolvi arriscar minha home made pizza. Testei umas duas receitas de massa, comprei massas prontas e agora consegui acertar um "modelo" que ficou muito saboroso! Como eu e o marido temos uma certa queda por pizzas de massa fina, comecei a usar um pão árabe muito saboroso no lugar da massa. É fininho, delicioso e fica super leve! A marca que eu mais gosto chama "Trigo Sol" (olha o jabá!) e já vi pra vender em 3 tamanhos diferentes. Parece um pão folha e o que me agradou é que eu nunca consegui abrir e nem comprar massas tão fininhas quanto esse pão.

Para fazer essa pizza eu uso molho de tomate (que pode ser caseiro, desses de latinha ou então uma polpa de tomate). Como tenho aqui um vidro de Passata Italiana dei uma refogada com um pouco de azeite extra virgem e tempero de alho, sal e cebola caseiros.
Depois de espalhar esse molho sobre o pão/massa, coloque presunto de Parma, queijo (pode ser mussarela mas eu gosto muito do cheddar), cebola e pimentão cortados bem fininhos, espalhe porções da pasta de damasco e polvilhe parmesão fresco ralado e orégano.

Para fazer a pasta de damasco
(que pode ser usada em várias outras receitas): Coloque 100g de damasco com duas colheres de sopa bem cheias de açúcar em uma panela com um pouco de agua. Deixe ferver por uns 5 minutos, escorra e coloque no processador com duas colheres de sopa de rum ou licor de damasco ou pêssego. Processe até virar uma pasta espessa.

Como esse pão é muito fino coloque a pizza em forno pré aquecido apenas para derreter um pouquinho o queijo (cinco minutos podem ser suficientes). Não é bom ficar muito tempo porque o presunto de Parma perde o sabor característico se ficar muito tempo no forno, já que é um presunto cru. Depois que tirar do forno, coloque por cima folhinhas de manjericão e saboreie com um bom vinho!

Buon
appetito!!!

Delírio Engordativo I - Panqueca com Morango, Chocolate e Chantilly

terça-feira, 21 de abril de 2009



Se é pra engordar eu engordo com bom gosto! Nada de biscoitos industrializados, chips, comidas encharcadas de óleo ... nananinanão! Chique é engordar com a comidinha da foto acima: panquecas com morango, ganache de chocolate meio amargo e chantilly. Sem noção o tanto que ficou gostoso!!!

A massa da panqueca é super fácil de fazer. Mais uma receitinha "clonada" do caderninho da minha mãe e incrementada com queijo parmesão, que dá um up no sabor.


Ingredientes:

02 ovos
10 colheres de sopa bem cheias de farinha de trigo
02 xícaras de leite
02 colheres de sopa de queijo parmesão ralado (pacotinho ou fresco)
180g de chocolate meio amargo
1/3 de xícara de creme de leite de caixinha
Morangos
Chantilly
Castanha de Cajú a gosto


Como faz:

Para fazer a panqueca é só colocar os ovos, a farinha, o leite e o parmesão no liquidificador até ficar bem homogêneo. Deixe a massa descansar por 20 minutos para incorporar a farinha e se necessário depois pingue um pouquinho mais de leite. Vá despejando a passa em uma frigideira anti aderente untada e já quente para fazer os discos. Essa massa rende aproximadamente 8 discos de 25 cm de diâmetro e pode ser usada com várias outras opções de recheio, como doce de leite com banana e canela, frango com alho poró, saladas, etc.

Para a ganache é só colocar o chocolate e o creme de leite no microondas por 1,5 minutos na potência média e misturar até ficar fininho.


Montagem:

Depois que os discos de panqueca estiverem frios corte-os ao meio (eu acho um disco inteiro muito forte e acaba ficando enjoativo). Coloque-o no prato em que vai servir e espalhe a ganache na metade da massa. Por cima da ganache coloque morangos picadinhos e, se quiser, salpique castanha de caju triturada. Dobre a massa e coloque por cima chantilly (usei o spray que a gente compra pronto em supermercado), morangos e use a ganache ou chocolate derretido para decorar.

Só de ver a foto já me deu vontade de comer de novo!




Mini Sanduiche de Geleia de Pimenta

quinta-feira, 16 de abril de 2009






Adoro sanduiches, mas não esses de fastfood (ou junkfood). Gosto demais de inventar sanduiches com o que tem em casa, tipo carnes, presunto, queijos, frutas, cebolas ...

Acho a mistura de doce com salgado muito convidativa e quando fiz a geleia de pimenta de biquinho logo pensei que ela ficaria muito bem em um sanduiche. Como não sou nem um pouco fã de defumados, usei presunto cozido normal (ou de peru) e depois fiz uma versão mais fina usando presunto de Parma (ficou MARA). Mas pra quem gosta de embutidos com sabor mais forte é só tentar e mandar ver na criatividade!

Para fazer esses sanduichinhos da foto usei pão sírio de tomate seco. Parti ao meio, reguei um dos lados com azeite extra virgem e salpiquei alho frito crocante. Esse alho eu compro em um baldinho (chama Alho Cheiroso) e é uma delícia pra temperar manteiga, arroz, etc. Se não tiver, vale laminar ou picar bem miúdo uns dentes de alho, fritar no azeite e deixar secar bem.

Do outro lado do pão "buzunto" a geleia com fartura. Aí então é só colocar presunto (dobro a fatia pra ficar bem altinho) e alface crespa picadinha.

Se quiser dar um up-grade vale demais além de trocar o presunto cozinho pelo de Parma, colocar pedaços de tomate seco e acrescentar algum tipo de queijo!!! Depois dos pequenininhos fiz um mais completo que ficou ainda melhor, usando ciabatta, queijo parmesão e sem picar o alface. Levei ao forno,aberto na forma, por uns 5 minutos para dar uma tostada no azeite e derreter o queijo antes de colocar o alface.


Opção leve e super saborosa que combina demais com um suco refrescante - tipo abacaxi com hortelã, bem geladinho!!!

Sei que o blog é de comida mas não resisti em colocar a foto da orquídea da minha sogra que está emprestada aqui em casa, enfeitando minha sala. Além de linda tem um cheirinho super gostoso!!!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...